sexta-feira, 30 maio , 2014
Últimas Notícias
Capa / Seitas / Adventismo / A história da Igreja Adventista do Sétimo Dia

A história da Igreja Adventista do Sétimo Dia

A história da Igreja Adventista do Sétimo DiaA história da Igreja Adventista do Sétimo Dia está ligada a William Miller, que desempenhou papel proeminente no início do Movimento do Advento na América, já que foi ele quem fixou a data de 22 de março de 1843 para a vinda de Cristo à terra. Os adventistas se orgulham de seu nome, pois no livro Fundadores da Mensagem, p. 9, lê-se: “O MOVIMENTO do Advento na América foi originado por homens que estavam desejosos de receber a verdade, quando esta a eles chegasse. Aceitaram-na sinceramente e segundo a mesma viveram, esperando serem dentro em breve transladados. Depois do grande desapontamento todos caíram em trevas”. Não ocorrendo o retorno de Cristo na data prevista, Miller apontou a data de 22 de outubro de 1844. Jesus novamente não veio.

A história da Igreja Adventista do Sétimo DiaA formação da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Após o “Grande Desapontamento” formaram-se vários grupos: o de Hiram Edson, em Port Gibson, o de Joseph Bates, de New Hampshire, Washington, e o de Ellen Gould Harmon White, que começou em Portland, no Maine. Em 1860, em conjunto com a organização da obra de publicações, escolheu-se um nome. Alguns optaram pelo nome “Igreja de Deus”, mas prevaleceu a opinião de que o nome deveria refletir os distintivos ensinos da igreja; assim adotaram o nome de “Igreja Adventista do Sétimo Dia”, e em maio de 1863, organizou-se a Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia.
Ellen Gould White e o “espírito de profecia”

Ellen Gould White

Ellen Gould White – Profetisa da ig. Adventista do Sétimo Dia
Ellen Gould White - Profetisa da ig. Adventista do Sétimo Dia
No livro Subtilezas do Erro, p. 35, lê-se: “O espírito de profecia é o que, segundo as Escrituras, a par com a guarda dos mandamentos de Deus, seria a característica da igreja remanescente”. No folheto The Mark of the Beast (A Marca da Besta), de George A. Irwin, 1911, afirma-se: “Acreditamos que o Espírito de Profecia é o único intérprete infalível dos princípios bíblicos”. Concluímos, assim, que os Adventistas do Sétimo Dia possuem além da Bíblia, uma outra fonte de direção divina (Veja Gálatas 1:18; 2 Coríntios 11:1-4; 1 Tessalonicenses 5:21; Salmo 119:105,130).
Visões e revelações de Ellen Gould White

DOUTRINAS DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA

Doutrina da natureza de Cristo

Os Adventistas do Sétimo Dia ensinam que Cristo, ao vir à terra, tomou sobre si a natureza pecaminosa do homem: “Em sua humanidade, Cristo participou de nossa natureza pecaminosa, caída. Senão, não seria então em tudo semelhante aos irmãos , não seria como nós em tudo…. De sua parte humana, Cristo herdou exatamente o que herda todo filho de Adão – uma natureza pecaminosa” (Estudos Bíblicos, pp. 140-141). – Compare com Lucas 1:35; João 8:46; 14:30; 1 Coríntios 15:45; Colossenses 2:9; Hebreus 4:15; 7:26.

Juízo investigativo

Segundo a teologia de Ellen Gould White a expiação não foi concluída na cruz do calvário (O Conflito dos Séculos, pp. 420-421). Ao terminarem as 2300 tardes e manhãs, Jesus entrou no lugar santíssimo para efetuar a última parte da sua solene obra – Purificar o santuário (Compare com Hebreus 6:19-20; 8:1; 10:19, 20; Levítico 16:2; Números 7:89; 1 Samuel 4:4; 2 Reis 19:15 e Êxodo 26:33). Veja ainda Hebreus 1:3.

O lugar de Satanás na Expiação

A doutrina da expiação da Igreja Cristã tem defendido que Cristo é o único expiador, sendo que Satanás não tem nenhuma parte na expiação. Com base em Levítico 16:5-10, alegando que o bode emissário tipifica Satanás, os Adventistas do Sétimo Dia defendem que Satanás não somente levará o peso e castigo de seus próprios pecados, mas também os pecados da hoste dos remidos, os quais foram colocados sobre ele . – Veja Isaías 53:4-6, 11, 12 e compare com Mateus 8:16-17; João 1:29; 1 Pedro 2:24; 3:18.

A mortalidade ou sono da alma

O livro Subtilezas do Erro, p. 249, diz “O que o homem possui é o “fôlego da vida” ou “vida” (o que dá animação ao corpo), que lhe é retirado por Deus quando expira. E o fôlego é reintegrado no ar, por Deus. Mas não é entidade consciente ou o homem real como querem os imortalistas”. A Bíblia desmente tal doutrina – o dormir refere-se ao corpo – Mateus 27:52 e Deuteronômio 34:5-6, comparados com Mateus 17:1-3.

Os adventistas do sétimo dia e os dois concertos

Insistem os Adventistas do Sétimo Dia em dizer que o decálogo é obrigatório, e assim, vivem no Antigo Concerto, afirmando que todos os não-sabatistas são transgressores da lei. O Antigo Concerto, porém, foi dado a Israel, que não o cumpriu. Veio Jesus, cumpriu a lei e realizou um Novo Concerto, sob o qual estamos. – Veja Hebreus 8:6, 7, 10, 11, 13; Colossenses 2:16, 17; Hebreus 12:18-24 e Gálatas 4:21-26.
A divisão da Lei: Lei de Deus e Lei de Moisés.

O folheto Leis em Contraste, pp. 2-3, diz : “A Lei Moral, os Dez Mandamentos, chamados Lei de Deus”… “O mesmo não se dá com a Lei Cerimonial, freqüentemente chamada de Lei de Moisés”. Entretanto “lei de Deus” e “lei de Moisés” são expressões sinônimas na Bíblia – Romanos 6:11-17; Gálatas 5:18-21; 2 Coríntios 3:6-11.

A Guarda do Sábado

Ellen White em O Conflito dos Séculos, p. 611, diz: “O sábado será a pedra de toque da lealdade… traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O servem”. Afirmam ainda que “o selo de Deus na vida do cristão é a guarda do sábado” – Veja Oséias 2:11; Colossenses 2:16-17; Isaías 1:13-14; Gálatas 4:9-10.

A guarda do domingo

Dizem os adventistas que a guarda do domingo é de origem pagã. Citam, no folheto Por que se Guarda o Domingo?, o dicionário Webster’s, que reza: “chama-se assim [Sunday] (dia do sol), porque era antigamente dedicado ao Sol ou ao seu culto”. Por esta lógica, a guarda do sábado também é de origem pagã, pois Saturday (sábado, em inglês) era o dia do deus Saturno, celebrado com orgias.

É a guarda do domingo o sinal da besta (666)?

Para os Adventistas do Sétimo Dia o selo de Deus na vida do cristão é a guarda do sábado; logo, afirmam que todos os que não guardarem o sábado receberão o sinal da besta – Veja Efésios 1:13; 2 Timóteo 2:19; 2 Coríntios 6:17; Romanos 4:25 e Apocalipse 1:10.

EXPLICAÇÃO DAS PASSAGENS USADAS NA DEFESA DAS SUAS DOUTRINAS

Gênesis 26:5 (Abraão guardou o sábado?) – Abraão guardou diversos “preceitos”, “estatutos” e “leis”; Gênesis 12:1; 17:1, 2; 17:9, 11; 21:12; 22:2 e 26:2, 3; mas a Bíblia não declara que ele tenha guardado o sábado.

Êxodo 16:22-30 (Ordenou-se a guarda do sábado antes do decálogo no Sinai, desde o princípio do mundo ?) – Ezequiel 20:10,12 diz que Deus disse que tirou Israel do Egito e lhe deu (não restaurou) os sábados como sinal consigo. Quando? Quando os tirou do Egito. A guarda do sábado é exclusivamente israelita: Deuteronômio 5:15; Salmo 147:19-20.

Êxodo 20:1, 17 (O decálogo é superior ao resto da lei de Moisés ? ) – Os dez mandamentos não foram escritos em pedra por serem superiores aos outros, mas por servirem de testemunha visível do concerto de Deus com Israel. Tábuas do testemunho: Êxodo. 31:18; 25:16; 32:15. Arca do testemunho: Êxodo 40:5; Tabernáculo do testemunho: Êxodo 38:21. Seria impossível escrever todo o Pentateuco em pedra e transportá-lo pelo deserto. O decálogo não é completo, pois não proíbe a bebedice, a ingratidão, a ira.

Êxodo 31:16 (O sábado, sendo perpétuo, está em vigor ?) – Se devemos guardar o sábado por ser perpétuo, então somos também obrigados a guardas as festas judaicas, que os Adventistas do Sétimo Dia admitem terem sido abolidas – Veja Levítico 23:31; Êxodo. 12:14.

Deuteronômio 31:21-26 (O Pentateuco, que foi colocado na arca e escrito diretamente por Deus, é a “lei moral”) A lei, porém, é uma só, incluindo a cerimonial: Êxodo. 22:21-22; Levítico 19:2, 16, 18; Deuteronômio 16:19; 18:13 ; Êxodo 23:2. Que parte da lei de Jesus considerou mais importante? Mateus 22:36-40. O primeiro mandamento está em Deuteronômio 6:5 e o segundo em Levítico 19:18. Tais mandamentos estavam originalmente do lado de fora da arca.

Salmo 19:7 – “Lei” não se refere só ao decálogo, mas a uma inteira seção das Escrituras: Deuteronômio 17:15-19; Salmo 1:2; 119:128.

Isaías 56:1,7 (E os filhos dos estrangeiros?) – Se estes tiverem de guardar o sábado, terão de oferecer também holocaustos e sacrifícios no altar, no monte (Jerusalém). Atos 8:21.

Isaías 66:22, 23 (Guardar-se-á o sábado no futuro?) – Se esta passagem indica isso, indica também que a festa judaica da lua nova (igualmente perpétua) deve ser guardada por todos.

Mateus 5:17-19 ( Jesus não veio destruir a lei e os profetas) – Esta passagem não diz que cada jota ou til da lei vai permanecer até que o céu e a terra passem, mas diz que não passarão “sem que tudo seja cumprido”! E Jesus disse que veio cumpri-la; logo, já passou. Lucas 24:44; 16:16, 17; Atos 13:29; Colossenses 2:14-16 ; Romanos 10:4.

Mateus 19:16-22 (“Guarda os mandamentos”) – A lei não estava cumprida. Vide acima.

Marcos 2:28 (O sábado é o dia do Senhor?) – O texto não diz que o sábado era o seu dia, mas que Jesus é superior ao sábado: Mateus 12:1-8.

João 3:13 – Jesus não estava tratando da morte das pessoas ou do estado da alma após a morte, mas das maravilhas do céu, cujo conhecimento não dependia de outro, que tivesse “subido ao céu”, e descido para nô-las contar. Jesus, que desceu do céu, contou-nos.

Atos 13:14 (Paulo guardava o sábado?) – O texto apenas diz que Paulo entrava nas sinagogas nos sábados, evidentemente se aproveitando da reunião dos Judeus para anunciar-lhes Jesus . Veja Colossenses 2:16-17.

Romanos 3:31 (Anulamos o sábado pela fé? ) – Paulo está argumentando nestes três últimos capítulos que ninguém consegue guardar a lei. Então conclui qunguém pode ser justificado “pela lei das obras”, mas todos podem sê-lo pela “lei da fé” (Romanos 3:37). Daí conclui-se que “o homem é justificado pela fé sem as obras da lei” ( v. 28). Para que ninguém o chame de “sem lei” (v. 31), o mesmo Paulo, ensinando que a lei foi abolida (Romanos 10:4; Colossenses 2:14-16; 2 Coríntios 3:2-14), declara que ele, para com Deus, não estava sem lei, mas debaixo da lei de Cristo (1 Coríntios 9:21). Em seguida vem a declaração de Romanos 6:12-14; 7:4,6.

Romanos 6:14 (Crêem que estar “debaixo da lei” é transgredi-la) – e estar debaixo da graça, é violar a graça ? Veja Gálatas 4:4 (Jesus nasceu “debaixo da lei”, mas não em pecado).

Romanos 7:12 – O assunto do contexto é a lei do marido e da mulher.

Hebreus 4:3-11 – O repouso mencionado não é o do quarto mandamento, mas de uma vida de fé em Deus: Salmo 118:22-24; Mateus 11:28-30.

Tiago 2:8-12 – “Lei” quer dizer toda a lei, e não só o decálogo. Então entre os transgressores se encontram também os adventistas, que não sacrificam animais, não guardam as festas, e nem praticam a circuncisão. Tiago também reprovou a acepção de pessoas (conforme Levítico 19:18, que não é do decálogo).

19. 1 João 2:3-6 – Não se diz que são os mandamentos do decálogo. Os vv. 1, 2 mostram que o texto se refere a lei de Cristo. – Veja João 14:15, 21; 15:10; 13:34; Atos 1:2.

Conclusão:

Concluímos, com base nos fatos apresentados, que apesar de a igreja ter as melhores escolas, hospitais, grupos musicais como: Prisma, Karisma, Voz da Profecia, Arautos do Rei e outro, os Adventistas do Sétimo Dia têm se comportado como judaizantes, paralelos aos da época apostólica. Os que dependem das obras da lei para a salvação não são verdadeiros cristãos (Efésios 2:8-15).

CRB INFORMÁTICA - Hospedagem de Sites R$ 8.00 por mês

Sobre Ministério Heresia Tô Fora!

O ministério Heresia Tô Fora, no inicio era uma coluna no jornal O Resgate, mas as dúvidas enviadas pelo e-mail foram tantas que senti a necessidade de criar um site e um centro de estudos que funciona desde 1994, nosso ministério é paraeclesiástico e interdenominacional que promove a fé cristã mediante a produção de pesquisas e informações religiosas.Nossos objetivos são informar, ensinar e equipar os cristãos sobre as verdades do cristianismo bíblico. Visa atender à igreja em suas necessidades, oferecendo uma parceria qualificada na área da Apologética Cristã.

Comments Closed

CRB INFORMÁTICA - Hospedagem de Sites R$ 8.00 por mês