Augustus Nicodemus

Apostasia é uma realidade nos meios evangélicos, diz Augustus Nicodemus

Gospel Notícias

Você com certeza deve conhecer algum amigo de igreja que hoje não confessa mais a fé cristã. Também deve conhecer líderes que caíram em pecado, ou deixaram de acreditar no que pregavam e abandonaram o ministério, não aceitando mais o Evangelho da Salvação.

A apostasia, isso é, o esfriamento espiritual, é um dos sinais do fim dos tempos, como podemos ler em 1 Timóteo 4:1 e 2 Tessalonicenses 2:3, mas também encontramos nas Escrituras advertências para não nos afastarmos da verdade de Deus.

Augustus Nicodemus Lopes, da Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, escreveu um texto sobre este tema em seu Facebook. O religioso comentou que conhece muitas pessoas, incluindo seus professores, que hoje se distanciaram da fé e nem se apresentam mais como cristãos.

No texto ele questiona o que tem levado essas pessoas a tomarem esta decisão de renegar os valores morais do cristianismo e aceitarem a liberação total como filosofia de vida.

Entre os motivos que podem explicar estas escolhas, Nicodemus cita algumas situações:
– os que creram por um tempo e depois se desviaram, por causa dos cuidados desse mundo e por causa das perseguições;
– os que, depois de algum tempo, passaram a dar ouvidos a doutrinas de demônios;
– outros, se desviaram da fé para professar uma doutrina que acharam que era mais intelectual e
– os que foram levados pela cobiça, como Judas, Balaão e Demas, que amou o presente mundo.

“Em resumo, os motivos externos são vários: amor ao dinheiro, orgulho, problemas morais não resolvidos, vaidade intelectual, falta de coragem para assumir a verdade e desejo de novidades. A raiz de tudo isso, ao meu ver, é a falta de um coração regenerado, um motivo que os autores bíblicos estão sempre prontos a admitir”, afirma o reverendo presbiteriano.

Nicodemus Lopes não quis entrar no mérito da salvação dos apostatas, até porque ele acredita que os eleitos perseverarão até o final. Porém ele comentou sobre três coisas que mantêm o cristão na verdade: o temor a Deus, a humildade e um coração quebrantado.
“Os que verdadeiramente se humilham diante de Deus e tremem de sua Palavra, mesmo que errem em pontos secundários, que caiam eventualmente em pecados, jamais se afastarão definitivamente de Deus e da sua palavra.”

No texto o presbiteriano afirma que, em seu ponto de vista, o verdadeiro crente não pode abandonar a Deus nem se quiser, enquanto que os apostatas passam desse limite por não acreditarem fielmente na Palavra.

Fonte: Gospel Prime